[Os dias da quarentena] A subida

Há uns anos atrás, um namorado levou-me a ver um miradouro em Lisboa. Estavamos no sopé da colina e começamos a subir os degraus, o que me parecia uma tarefa impossível. “Acho que não consigo, vamos voltar para trás”, reclamei. Mas ele disse-me que eu estava a fazer mal os degraus: “faz de conta que esta escada nunca mais termina e sobe a esse ritmo”. Continue reading “[Os dias da quarentena] A subida”