[ó da casa] princípios orientadores

Ando há uns meses mais ocupada com a maximização da eficiência de minha casa- suponho que seja resultado do tempo de confinamento. Em 2021 quero ir ainda mais longe.

1. Menos coisas em casa = menos coisas para arrumar/limpar

Para quem passa mais tempo em casa, especialmente se viver numa casa mais pequena, o espaço livre é importantíssimo. E ter menos coisas que manter é fundamental quando se está a braços com trabalhar em casa, cuidar da casa, estar doente, estar numa fase difícil ou mesmo nos tempos de relaxamento (fica mais tempo livre, o que não é negligenciável!!)

Não ter “tralha” é fundamental neste contexto. Tralha são em geral todas as coisas que temos em casa e que há pelo menos 2 anos que não usamos nem prevemos usar nos próximos 6 meses e que ainda por cima são substitíveis facilmente – mundo com isso!

2. Comprar ingredientes básicos que dão para fazer muitas coisas em vez de comprar comida processada com datas de validade mais limitativas e ingredientes duvidosos

Com a #pãodemia muita gente percebeu o valor de ser mais autossuficiente – porque o pão de forma é uma treta e em época de reclusão não dava para sair para ir ao pão todos os dias. Ao mesmo tempo, a farinha que faz o pão e o fermento dá para fazer bolos, almondegas, hamburgueres vegetarianos, massa, etc!

Acresce uma ideia que há anos a Courtney Carver lançou, uma coisa chamada “Capsule Kitchen”, em que durante 3 meses uma pessoa se desafiava a comprar apenas 33 tipos de alimentos no supermercado. Experimentei há anos e achei a experiência verdadeiramente transformadora, porque tornava as minhas compras mais simples, rápidas e económicas e me desafiava a ser mais criativa na cozinha. Deixei esta ideia por preguiça, mas a verdade é que noto que ainda hoje não vario assim tanto nas coisas que compro semanalmente.

Além disso, há imensos ingredientes que dão para fazer outras coisas como produtos de beleza, soluções para limpar a casa etc. – é um esforço que podemos testar a ver se vale a pena 🙂 

3. Ter uma lista de pratos que sabemos fazer bem e de que a família gosta sempre à mão (porque às vezes a inspiração falha) e idealmente, saber o que se vai fazer para comer numa determinada semana.

Fiz isto na pandemia e depois descobri que outras pessoas tinham esquematizado também os pratos que sabem fazer. É uma ideia útil!

4. Minimizar as tarefas domésticas tanto quanto possível

Seja através de adaptação de expectativas (e.g. há pouquissima roupa que se passa cá em casa) seja através da automatização que é possível fazer (investimos num aspirador robot e numa Bimby já há algum tempo), seja através da criação de rotinas ou da escolha de instrumentos eficazes para a manutenção da casa.

5. Focar a saúde

Se queremos estar saudáveis temos que agir nesse sentido – então o foco das nossas atividades deve ser o da promoção de saúde tanto quanto, através da escolha das receitas, dos hobbies e das rotinas.

6. O tempo que passamos juntos é o mais bem aproveitado

A maior razão para nos esforçarmos para ficarmos bem e termos a casa mais sustentável é para podermos estar bem com quem mais nos importa, seja em que modalidade for (online também conta). 

O tempo que estamos junto das pessoas que amamos deve ser preservado e usufruído ao máximo!

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s