[Mãe!] O que levar para a sala de partos e maternidade

Antes de a criança nascer, somos aconselhados a preparar um saco para a sala de partos e até nos dão um folhetozinho muito jeitoso e sensato sobre o que incluir. A lista que proponho é um pouco menos fundamental, mas garanto que quando estiverem na sala de partos há 5 horas e o/a parceira tiver trocos para ir à máquina de café para despertar sem demorar, esta lista vai valer bem o tempo passado a olhar para ela!

Uma das coisas que somos aconselhadas a fazer no terceiro trimestre é a preparar uma pequena mala para levar para a própria sala de partos.

Confesso que no meu imaginário, a sala de partos era um lugar feio, com ar de sala de operações e a razão para sermos aconselhados a levar uma mala ou saco pequeno tinha que ver com o facto de numa sala dessas a prioridade ser dada aos instrumentos de intervenção cirúrgica.

Pessoalmente tive a sorte de ter o meu bebé no Centro Materno Infantil do Porto (antiga Maternidade Júlio Dinis) onde as salas de partos têm de facto uma componente de equipamentos de monitorização e intervenção, mas têm também um cadeirão simpático para a pessoa que acompanha. Há salas de parto individuais e um corredor onde se pode caminhar e onde está também uma máquina de café… As condições são excelentes, na minha opinião.

Senti que o trabalho de acompanhamento do CMIN foi mesmo muito bom, tendo o curso de preparação para o parto incluído uma visita guiada pelas instalações.

RECOMENDO VIVAMENTE uma visita às instalações do sítio onde vão parir antes do grande dia por vários motivos, mas um deles é para poderem afinar a vossa lista de coisas que precisarão quando estiverem na maternidade.

Se estão a ser acompanhadas em alguma maternidade/hospital/centro de saúde o ideal é consultar e seguir à risca a lista de cada local (no mínimo).

A lista que apresento aqui inclui as coisas que me sugeriram no curso de preparação para o parto e algumas coisas que acrescentei depois de consultar a internet. A lista divide-se em coisas para a mãe, coisas para a cria e coisas para o/a acompanhante.

Mãe:

  • Camisa que dê para amamentar (isto é, que dê para abrir à frente facilmente)
  • 2 pares de cuecas (confortáveis e se puderem ser de algodão, melhor)
  • pensos de puerpério (são uma espécie de pensos higiénicos mas mais volumosos e de material mais hipoalergénico – não parecem ser muito confortáveis, mas são adequados às necessidades do momento, juro).
  • Chinelos de quarto
  • Roupão
  • Meias (também há quem tenha frio nos pés quando pare! sugiro daquelas que vão até ao joelho e não das que só vão até aos tornozelos)
  • Elásticos de cabelo e/ou ganchos (qualquer coisa para poder prender o cabelo caso esteja a incomodar)
  • Spray de água para refrescar/molhar os lábios – trago comigo normalmente uma daquelas garrafas de água termal em hidrossol, mas suponho que uma garrafa de spray com água também dê. Não é suposto bebermos muita água quando estamos a dar à luz, mas molhar os lábio tem luz verde 🙂
  • óleo de massagem e bola de ténis – esta foi uma das sugestões que nos deram no curso, porque uma massagem pode ajudar a gerir o desconforto das contrações durante o trabalho de parto; no meu caso não foi útil porque me deram logo a epidural, o que significou que tive de ficar deitada e não houve oportunidade de massagem nas costas (helas!)
  • documentos de identificação (cartão de cidadão, etc) e livrinho de grávida – se parirem no centro onde estão a ser acompanhadas, eles terão à partida a informação que consta no livrinho, mas pelo sim pelo nºao e como o lvro deve andar sempre com a grávida…

Cria:

  • 2 fraldinhas descartáveis
  • saco com muda de roupa (body, calcinhas com pé, babygrow, casaquinho, barrete, carapins [conhecidas fora do Porto como “botinhas de malha”] ou meias e luvinhas) – alternativamete, a roupinha pode ser envolta na fralda de pano
  • fralda de pano
  • mantinha

Acompanhante:

  • carteira com trocos – para ir à máquina de café/vending machine mais próxima
  • snacks para matar a fome  (tipo barra de cereais, um chocolate, frutos secos… o que for da preferência da pessoa, mas que se possa incluir no saco sem perder a validade em 2/3 meses) – a mãe não pode comer durante o trabalho de parto, para o caso de ter de ser intervencionada cirurgicamente não estar com o estômago cheio
  • rebuçados ou outra coisa açucarada para qualquer quebra de glicémia/fraqueza
  • carregador de telemóvel e powerbank (carregado!!) – apesar de a partir de certa altura não se poder usar o telemóvel na sala de partos, o aparelho também serve de máquina fotográfica e rádio, mesmo com o modo de voo ativado. Além disso o/a acompanhante pode usar o aparelho quando sai da sala, além de que toda a gente quererá saber quando a criança nascer, pelo que um carregador e/ou powerbank é sempre útil.
  • garrafa de água para beber (a grávida também não pode beber à vontade nesta fase de trabalho de parto, mas o/a acompanhante está à vontade…)

Outras coisas relevantes

  • papéis para a doação de células estaminais para o banco público (se disponível e se for esse o desejo dos pais)/kit de recolha de células estaminais (mais uma vez, se for essa a opção desejada)
  • plano de parto – é uma figura relativamente recente e serve para explicar por escrito e antecipadamente como se pretende que o parto decorra na instituição que nos acolhe; confesso que não usei, mas a título informativo, aqui ficam um par de sites a explicar como se faz e um modelo que encontrei online:

plano de parto oms_

https://www.vidaativa.pt/a/plano-de-parto/

https://www.e-konomista.pt/artigo/plano-de-parto/

Além da malinha para a sala de partos, é também necessário preparar uma mala para a estadia (previsivelmente curta, de 2/3 dias) na maternidade ou hospital.

A minha sugestão é usar uma mala tipo mala de viagem e separar as coisas por sacos lá dentro (a Tiger vende uns para organização das malas que são ótimos e muito baratos). É bom lembrar que na maternidade a temperatura dos quartos tende a ser para o elevado que é para os bebés não apanharem frio.

Bebé:

  • fraldas descartáveis e toalhitas para limpar o rabinho (uso water wipes)
  • 3 mudas de roupa (usei saquinhos de pano que a minha mãe bordou para isso, mas também se podem envolver as coisas em fraldas de pano) – ainda hoje gosto de viajar com as mudas de roupa do miúdo completas (agrupo em conjuntos de muda completa e depois se usar apenas parte das peças reponho posteriormente), mas no princípio era mesmo muito importante fazer isto, porque era ainda mais fácil esquecer coisas importantes. – pode ser preciso algum familiar levar mais mudas de roupa entretanto.
  • toalha de banho (aconselham-nos a não usar nenhum tipo de sabão ou detergente nos primeiros tempos do bebé)
  • óleo de amêndoas doces ou de côco – atenção ao óleo de amêndoas doces que se compra por aí! verificar sempre os ingredientes, que devem dizer apenas “prunus dulcis” (o nome em latim da amêndoa doce); alguns produtos incluem um aditivo que é o BHA que numa lógica protetora do recém nascido sugeria que se evitasse.
  • coque/ovo de transporte do bebé- não se pode sair do hospital sem ela!

Mãe:

  • camisas de noite compatíveis com a amamentação (de fácil abertura à frente)
  • soutiã de amamentação
  • chinelos
  • meias
  • roupão
  • Produtos de higiene e afins:
    • escova e pasta de dentes
    • escova de cabelo e elásticos
    • gel de banho, champô e amaciador
    • água micelar, rodelas de algodão e creme da cara
    • pensos de puerpério (com fartura!)
    • creme hidratante para o corpo
    • purelan (ou outro creme puro de lanolina) e óleo de côco – ambos para pôr nos mamilos depois de dar de mamar; o óleo de côco hidrata mas é menos untuoso que a lanolina; usei os dois, porque achei que o óleo de côco era absorvido mais rápido e dava alívio imediato e a lanolina permanecia mais tempo, dando alívio prolongado.
  • toalha de banho
  • roupa para ir para casa – lembrar que depois de parir o nosso corpo não volta logo ao “normal” e ficamos com uma barriga como se estivessemos de mais ou menos 4 meses (fora outras alterações ao corpo como o aumento de peso, etc.)
  • carregador de telemóvel
  • coletores de leite, também conhecidos como conchas, tupperwares de boobs, ou  boobarueres (confesso que esta é a forma como carinhosamente nos referimos às conchas lá em casa :D)
  • protetores de seios (também conhecidos como pensos para os mamilos) laváveis ou descartáveis.
  • venda para dormir – pode ser útil para quem não tem a sorte de ter um quarto individual como foi o nosso caso no CMIN

Acompanhante:

  • saco cama – no CMIN ofereciam a possibilidade de ficar no cadeirão-cama, mas não incluiam aqui uma mantinha para o acompanhante, o que no inverno faz falta!
  • pijama
  • escova de dentes

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s